Arquivo para abril \28\UTC 2010

o primeiro dia

a principio é simples, anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no burburinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado, que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

e é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso, por curto que seja
apagam-se dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar, sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

e entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vazia
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

(a música chama-se “O primeiro dia” e recebi diretamente de Portugal, de presente de Andreia, querida que vive inundando minha caixa-postal de mensagens positivas e carinho sem fim. É de um cantor português, Sérgio Godinho – o Caetano lusitano, segundo palavras dela. Ela disse que se lembrou de mim quando ouviu. E eu, ao ver/ouvir tudo isso um dia antes de embarcar, só fiz chorar. De alegria.)

 

**

A última carta que Caio escreveu a Paula de Paris foi num dia 28 de abril também, exatos dezesseis anos atrás. Esta é a minha primeira.

swinging london

meu avião pra europa teve surpresas lindas do destino, meu irmão segurando a minha mão e um túnel do tempo para 2007.

incrível como só de pisar na cidade que habitou meu coração por seis meses uma montanha-russa de sensações tomou meu peito, tudo-ao-mesmo-tempo-agora, como se novamente eu fosse aquela garota de 22 anos, pronta para ganhar o mundo. feels like home.

 

“while my eyes
go looking for flying saucers in the sky…”

vou-me embora pra pasárgada

De mala, cuia e sonhos. Hoje. Minha Pasárgada é Paris

Nos próximos meses, vou me comunicar em outra língua, criar nova rotina, morar em outro endereço e ter até novo nome.

De agora em diante, minha vida será assim: en rose.

Ou como já diria Caio, “É dificil aprisionar os que têm asas”. Estou partindo.

(a foto é do presente mais fofo do mundo e amuleto de sorte pra vida, que ganhei de lissa no meu último aniversário, diretamente de NY: a correntinha “j’aime paris”. lissa é amiga mais-que-querida e foi uma das primeiras a me dar uma super força nesta empreitada; linda!)

all i know, all i know, love will save the day

Num post do final de junho de 2007, poucos dias antes de ir para Londres:

“(…) Tenho um milhão de expectativas e toda energia positiva do mundo ao meu lado, recebi boas vibrações de todos os cantos possíveis e os desejos são de que despedidas sejam sempre assim: doces, cercadas de carinho e de momentos mágicos, de beijos, abraços e amor que não tem hora pra acabar. 

(…) E eu, boboca e sentimentalóide que só, já chorei um monte com tanta demonstração de afeto de todas as partes. Agora, carrego comigo, para a Europa e para o mundo, toda a sorte que me couber logo ali, dentro da bolsa e do coração. E dessa, eu jamais abro mão.”

Engraçado como cada abraço é capaz de me transportar novamente para aquela época – uma sensação boa de déja vu, de esperanças e borboletas que não cabem dentro de mim. Agora estou em nova despedida, e sinto uma corrente tão forte de amor que às vezes tenho a impressão de que posso explodir. Acho que estou no caminho certo.


(este livro foi presente de big sis quando ela esteve aqui em 2008. tipo profético, néam?!)

inbetween days

“A fascinação de Caio pelo estrangeiro nasceu com ele (…) O menino achava o espetáculo [de atravessar a fronteira] fascinante, tudo mudava de repente, a paisagem, a língua, os hábitos, e assim ele foi se acostumando com a empolgante sensação de estar em outro país. (…) De uma coisa ele tinha certeza: adorava viajar. E era hora de cair fora.

 

‘Eu não sei quando volto. Nem se volto. (…) Talvez eu já não esteja completamente aqui. Nem lá, seja aonde for. Antes de viajar, fico pairando. Talvez a alma parta antes e não saiba direito aonde ir sem o corpo. Na morte deve ser parecido.’

(“Para sempre teu, Caio F.”, texto de Paula Dip, em itálico carta de Caio Fernando)

revendo padrões

“Quando você é jovem, sua vida gira em torno da busca pela diversão. Aí você cresce e aprende a ser cautelosa. Pode quebrar um osso, ou o coração. Você olha antes de saltar, e às vezes nem salta, porque nem sempre há alguém embaixo para aparar sua queda. Na vida, não há redes de segurança.
Quando a vida parou de ser divertida e se tornou assustadora? Decidi que era hora de deixar o medo para trás e me divertir.”
(no episódio “The catch” de “Sex and the city”)

Ou o que a Tatá, amiga querida, falou na terça: “Naná, vai dar tudo muito certo para você lá… E não tem que ficar pensando, ‘será que eu faço?’, FAÇA, não fique questionando, ‘será que eu compro?!’, COMPRE. Porque a vida muda muito rápido, e a pior coisa que tem é a gente ficar se arrependendo pelo que não fez”.

tsá?! :)

dia de santo expedito

santo das causas urgentes e PADROEIRO DOS VIAJANTES.

acendam uma vela e rezem por mim! ;*


Blog Stats

  • 163,055 hits