amor de uma via só

“Isso, ou algo melhor, agora se manifesta para mim, de maneiras totalmente harmoniosas e satisfatórias, para o bem maior de todos os envolvidos”.

Esse mantra, que aprendi num livro sobre visualização criativa uns anos atrás, sempre me acompanhou. Eu tentava pensar, criar e visualizar coisas maravilhosas acontecendo na minha vida – e com a ingênua certeza de que, na verdade, ainda viria algo muito maior e melhor, porque né, sou uma pessoa boa e queria acreditar que o universo me traria isso de alguma forma. Então, quando você apareceu na minha vida, apenas dez dias (!) após mais um coração partido, eu achei que era isso: minha tão esperada resposta do universo. Você era tão tudo que eu sempre sonhei, e ao mesmo tempo tão maior e melhor, que eu mal podia acreditar na minha sorte – “mal podia” mesmo, porque enquanto você se declarava apaixonado desde o início, eu demorei mais para me jogar e botar fé, achava que era mais uma pegadinha. Alguns meses depois, foi meio que isso. Triste.

***

Algumas dores de amor são mais fáceis de curar do que outras. A sua foi bem difícil, porque havia muita coisa em jogo – e se tem um estudo no qual estou me tornando PhD é “relacionamentos & coração partido”. Umas poucas semanas atrás, resolvi te procurar para poder virar a página, e que surpresa enxergar em você essa pessoa egoísta, imatura, fria, mimada. Dei um passo para trás para então perceber que talvez a culpa não tenha sido sua: era minha. Porque, no fundo, talvez eu é que tenha enxergado em você uma pessoa que você nunca foi. E fiquei pensando em todos os outros amores nos quais eu insisti e investi muito apenas porque, na minha projeção, eles eram essa tal resposta do universo para as minhas angústias. Que grande bobagem: a resposta mesmo nunca esteve lá fora – ela está aqui, comigo. Agora. 

 

“Às vezes, quando nos apaixonamos, quando desejamos uma pessoa, nós vemos apenas uma pequena porcentagem de quem ela realmente é. Ao invés de ouvir, ou aprender, nós a recortamos como imaginamos que ela seja, como a desejamos para nós mesmos, nós criamos pequenas fantasias das pessoas e deixamos que isso cresça em nossos corações. E é aí que os relacionamentos falham. Com o tempo, a ficção que criamos de uma pessoa se vai, as mentiras que contamos para nós mesmos se revelam e logo a pessoa que temos à nossa frente é quase irreconhecível, e se tornam dois estranhos em seu próprio amor. E que grande pena que isso aconteça. Meu conselho: preste atenção aos pequenos detalhes das pessoas – você irá aprender que o universo é muito mais espetacular do que um autor jamais esperaria que fosse.” 
– Beau Taplin (compartilhado pela minha querida xará, em minha tradução livre do inglês)

 

 

 

Anúncios

2 Responses to “amor de uma via só”


  1. 1 Flá novembro 12, 2015 às 6:41 am

    A gente aprende, né? E é tão bom… porque eu acho que no meio do turbilhão talvez não dê muito pra perceber que a gente está se iludindo, mas depois que passa pelo menos rola aquele reconhecimento de “opa, peraí, já passei por isso antes, realmente não é nada disso”… Ajuda a superar, acho.

    No mais, eu acredito que o universo vai te dar sim coisas muito maravilhosas (pra mim também, eeeeeeeeee!), mas a mais maravilhosa de todas você já tem- e acabou de perceber…está aí com você, agora! Você é uma pessoa inspiradora! <3

    ;*

  2. 2 Juliana Clorado novembro 18, 2015 às 11:10 am

    é amiga, é isso mesmo…
    normalmente, pra quase tudo, o “problema” está em nós mesmos…
    =/


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 162,694 hits

%d blogueiros gostam disto: