há sempre um começo e um novo sim

“não vê como tudo que acontece é sempre um começo?
(…) há de se reconhecer, aos poucos, que aquilo a que chamamos destino sai de dentro dos homens em vez de entrar neles.”
(Rainer Maria Rilke, em “Cartas a um jovem poeta”)

Há alguns meses eu tinha dito que queria dormir e acordar apenas depois do carnaval. Como a vida adora nos pregar peças, esses foram os meses mais agitados dos últimos dois anos. Consegui um dos empregos mais cobiçados da minha área (mesmo sem estar procurando emprego), fui fazer o treinamento em Londres e reencontrar amigos antigos, arrumei (mais) uma paixonite platônica. Perdi minha avó adotiva, perdi um iphone com a vida dentro. Fortaleci amizades, estou ajudando a planejar dois casamentos queridos. Conheci gente nova, me distanciei de pessoas que não fazem mais sentido. Exercitei muito o desapego – no armário, nas lembranças, nas relações. E estou aprendendo, quase numa rotina diária, de que os melhores presentes que o destino nos traz são exatamente quando não temos expectativa alguma – e, aí sim, surge espaço para uma boa e inesperada surpresa.

Com algumas decepções que estou tendo de enfrentar, especialmente na última semana, estou aprendendo, na marra, da falta de perenidade do que nos cerca; e de que por isso, sempre por isso, tudo deve ser aproveitado ao máximo quando acontece.

A cartinha que minha madrinha me entregou antes de eu embarcar dizia: Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. E essa frase, atribuída a Chico Xavier, apesar de manjadíssima fez todo o sentido do mundo pra mim. Fiquei emocionada.

Agora todos os dias são um novo começo, e trazem um novo fim. Respiro fundo e olho ao redor – que sorte tenho eu.

Anúncios

5 Responses to “há sempre um começo e um novo sim”


  1. 1 Nana fevereiro 15, 2013 às 7:51 am

    É, minha amiga, são os ciclos da nossa vida.
    Quero saber os detalhes!
    Bjos

  2. 2 Nina Vieira fevereiro 17, 2013 às 7:22 pm

    O que eu acho bacana nos teus textos é que, apesar dos pesares, você não se entrega aos fatalismos, sabe? Você se ergue e continua, porque, afinal, a vida está aí para isso. E se tem uma palavra que te define agora é exatamente essa: guerreira.
    Parabéns por se superar a cada dia.
    Abraços.

  3. 3 Joyce Muller fevereiro 18, 2013 às 5:16 pm

    Nath, é incrível como toda vez que passo por aqui me identifico.
    Bjão

  4. 4 Juliana Clorado fevereiro 20, 2013 às 3:20 pm

    amiga, adoro seu jeito de ver a vida!!!!
    ;)

  5. 5 Fabiana Souza fevereiro 20, 2013 às 6:32 pm

    Que bom ler isso! Sua palavras transbordam você! Que linda você é!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 163,126 hits

%d blogueiros gostam disto: