parei na contramão

Uma vez li uma frase que dizia que, mais do que saber do que a gente gosta, é saber bem do que a gente não gosta que ajuda a construir quem a gente é.

Há dez dias meu pai machucou o joelho, e agora estou de motorista, o levando todos os dias ao metrô, por ser quem tem horários mais flexíveis. Minha família ama dirigir, especialmente minha mãe e meu irmão. Minha mãe já está até triste porque em alguns anos vai ter que parar de pegar no volante, coisa que faz há 45 anos (!). Pois bem. Eu, que sempre fui mais acomodada em pegar caronas e usar transporte público, achava que não tinha pego gosto ainda pela prática apenas porque a fazia pouco e tinha preguiça. Mas agora, que estou sendo obrigada a dirigir mais, percebi que não é falta de prática – é falta de gosto mesmo. E foi tão libertador! Mesmo aceitando que tenho uma certa anomalia genética quando comparada com meus próximos, já que não herdei o tal gene-ayrton-senna-do-brasil; ainda assim fiquei bem mais tranquila quando assumi para mim mesma que não gosto de dirigir. Não preciso mais forçar a barra e fingir que tudo bem, que só preciso “pegar mais o carro”.

Gente, eu não gosto de dirigir. E tudo bem, qual o problema? Que mal há nisso?! Ninguém nasceu em cima de quatro rodas! Acho o trânsito um ambiente nocivo e hostil, um mal moderno. Deixa as pessoas estressadas, mal humoradas, violentas e chatas. Além de monotemáticas – só sabem falar de engarrafamento. E é algo que não quero para mim. Ser pedestre é uma opção de vida.

Ah, como é bom se conhecer melhor e se descobrir um pouquinho mais a cada dia – e viver em paz com isso. Ando num momento bem in love.

Anúncios

10 Responses to “parei na contramão”


  1. 1 Nana abril 5, 2012 às 2:37 pm

    nath, eu sofro deste mal. não gosto e não faço questão. morando em um bairro longe, onde tem ladeiras intermináveis e transporte público limitadíssimo, não vejo outra saída senão mudar esse pensamento.
    mas não tenho muita vontade.

    aliás, isso me lembrou um texto do blog de 4 primas, o Coletivo4.
    aqui: http://coletivo4.com/2012/03/29/meu-querido-bilhete-unico/

    beijo!

    • 2 nath abril 16, 2012 às 9:56 am

      também acabo usando por necessidade, mas meio de birra ainda :~

      adorei o post, obrigada pela sugestão!
      é bem isso mesmo.

      beijocas, lindona!

  2. 3 Isa abril 8, 2012 às 6:32 pm

    eu-preciso-aprender-a-dirigir

  3. 5 Ju abril 9, 2012 às 11:00 am

    problema nenhum amiga, não dá pra gostar de dirigir numa cidade dessas, é bem estressante afe
    =)

  4. 7 comida emocional abril 9, 2012 às 2:27 pm

    nasci parada na contramão ! só pode !
    se tem uma coisa que eu ODEIO nessa vida é dirigir. ahahahahaha
    te entendo, nath !
    bjos

  5. 9 Linda abril 9, 2012 às 9:11 pm

    Eu experimentei essa sensação de bater o pé na semana passada para várias situações diferentes na minha vida e dizer: ” Não, isso eu não quero. Não, eu realmente não gosto.” E é verdade…algo libertador, mesmo quando a direção é a contrária da maioria, você fica em paz porque escolheu simplesmente ser você e isso basta!!!” Volante? Não, prefiro pé dois! rs…
    Beijos, Nath!

    • 10 nath abril 16, 2012 às 10:00 am

      acho super importante no processo de amadurecimento e autoconhecimento, mas precisa sim de muita vontade e persistência para bater o pé e ir conta o senso comum!
      boa sorte para nós ;)
      beijocas, amore


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 163,970 hits

%d blogueiros gostam disto: