aula de circo

Hoje fui ao circo, como não ia há muitos, muitos anos – nada como crianças na família para nos trazer de volta à infância por alguns instantes. Além do encantamento do espetáculo em si, que sempre me fascinou (não sei se é a paixão dos artistas, saber de sua vida apertada e de como mesmo assim se dedicam com tanto amor ao que fazem); mas é inevitável, diante da magia circense, comparar as acrobacias com nossas lutas diárias por uma vida mais leve e, por que não?, mais digna e contente.

O trapézio sempre foi meu número favorito. Não sei se pelo tom de brincadeira dos trapezistas, pela materialização do sonho universal de voar ou se pela arte de saber se jogar na rede, sem medo. Impossível não traçar um paralelo imediato de saber confiar no outro, abandonar seu corpo e seus medos em mãos alheias e fazer disso um movimento digno de aplausos. Porém, desta vez, o que mais me tocou não foi o desprendimento dos trapezistas, que já me é tão familiar – pelo menos da cadeira do respeitável público. Mas sim o timing. Pensar em como, por milésimos de segundo compassados, houve a sincronia perfeita para que tudo acontecesse como deveria. Eu sei que é fruto de muito ensaio, sangue suor lágrimas, e que os artistas se dedicam sim para que haja toda essa harmonia de movimentos. Mas o que não saía da minha cabeça era o fato de que, na tal vida real, quem comanda tudo também é o timing, e não tanto o destino.

De uns tempos pra cá, tenho reencontrado pessoas que surgiram em certo momento da minha vida sem que eu entendesse sua razão de estar lá. E hoje, pós-distanciamento (no timing correto?), tudo faz todo o sentido do mundo. Por isso, não insisto. Se uma música não bate, se um livro não flui, se um conhecido não desce, se uma situação trunca… talvez seja só questão de esperar, pacientemente, chegar a hora certa. Muitas vezes é só questão de tempo para que, do outro lado, apareça alguém disposto a segurar nossa mão no momento em que sentimos segurança suficiente para nos libertar.

Anúncios

6 Responses to “aula de circo”


  1. 3 Karin Bezerra março 5, 2012 às 12:52 pm

    Nunca imaginei que do título desse post fosse ler um texto tão bacana e tão verdadeiro.
    O timing e a paciência é tudo

  2. 4 Fabi março 6, 2012 às 3:05 pm

    Por falar em circo…


  1. 1 tempo, tempo, tempo mano velho « drops de anis Trackback em março 8, 2012 às 8:07 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 162,637 hits

%d blogueiros gostam disto: