ser feliz ou ter razão

Sábado passado fui encontrar uma amiga para um café, e estávamos conversando sobre nossas escolhas. Temos um monte delas em comum, como preferir não andar de carro, ficarmos solteiras até aparecer um cara legal, investir nosso dinheiro em viagens e boas lembranças. Mas também falamos sobre como é cansativo ter de ficar o tempo todo justificando nossas escolhas para as outras pessoas, simplesmente porque isso vai de encontro ao que a grande maioria tem como caminho único e destino traçado – como se nós, ao mostrar que sim, outra rota é possível, estivéssemos fazendo uma afronta pessoal a elas e ao seu modo de vida.

Um dia antes eu havia assistido a um filme bem bacana e, resumindo a história: ao encontrar o doador de sêmen de seus filhos, duas mães ficam chocadas com suas escolhas de vida. Ele disse que não gostava muito de estudar, que achava uma perda de tempo fazer faculdade, foi curtir a vida e abriu um restaurante de comida orgânica. Não era casado, tinha seus romancezinhos, e parecia tão feliz e sereno! E como isso era antagônico ao modo de vida delas, que acreditavam na formação acadêmica e não deixavam nem os filhos andarem de moto por considerarem perigoso. Elas agiam como se as escolhas dele fossem uma atitude tomada com o único objetivo de chocá-las; quando, no fundo, ele só escolheu aquilo que ele acreditava que o faria feliz, sem ligar para o que os outros pensavam.

Escolhi não ter um carro para estudar francês em Paris e fazer minha pós-graduação, escolhi ficar solteira ao invés de namorar um babaca apenas para não ser tachada de encalhada, escolhi trabalhar em casa e em projetos paralelos mesmo ganhando menos do que em agência, porque isso me dá mais liberdade e flexibilidade de horários. 

Creio que quem faz tudo como “manda o figurino”, razão tem é pouca – acho até irracional na verdade, além de me soar bem infeliz. Eu escolhi ser feliz e de acordo com o que acredito – e, além de tudo, ainda acho que quem tem a razão sou eu. Afinal, já cantavam os Mutantes: “Mas louco é quem me diz, e não é feliz. Eu sou feliz.” :)

Anúncios

11 Responses to “ser feliz ou ter razão”


  1. 1 Larissa L. fevereiro 4, 2012 às 5:00 pm

    Sabe, Nath, fiquei pensando bastante no seu post, porque concordo muito com ele… que devemos buscar aquilo que realmente nos faz feliz, independente das outras pessoas…
    Mas não sei, acho isso um pouco complicado, pois geralmente essas pessoas são aquelas que mais influenciam nossa vida de forma direta (pais, família, amigos) e acabam nos ‘retaliando’ mesmo, por não compartilharmos essa visão (pequena, a meu ver) da vida… E, assim, eu pelo menos, me sinto mais presa do que se estivesse fazendo algo que não gosto. Afinal, eu faço o que gosto, e tenho grandes planos sobre isso, mas não é meu ideal de vida ficar passando horas num consultório ‘só’ para ganhar dinheiro e ter uma carreira e no final não ter aproveitado nada…! Tenho muita vontade de romper com essas amarras sociais, senti muita dificuldade em fazê-lo na faculdade e fui muito criticada por isso!
    Então não sei! É um projeto que esbarra em muitas outras pessoas e isso acaba me inibindo um tanto… Mas não deixa de ser um projeto!
    Você me inspirando sempre!
    Um beijo querida!

    • 2 nath março 21, 2012 às 2:37 pm

      então, mas mesmo quando essas pessoas são próximas e nos influenciam de forma tão grande e direta; ainda assim acredito que o melhor é dar um passo pra trás, respirar fundo e olhar para dentro, encarando de frente os SEUS desejos e expectativas.
      comigo tem funcionado ;)
      um beijo!

  2. 3 Vanessa fevereiro 5, 2012 às 12:24 am

    Oi, sempre leio seu blog e hoje resolvi comentar. Eu também resolvi seguir a vida do meu jeito e também trabalhava em casa na internet. Minha família e amigos nunca entenderam como eu podia viver assim, como era possível ganhar dinheiro e fazer meus próprios horários.
    Nunca fui tão feliz, sabe? Infelizmente o trabalho se foi e agora vai acontecer o que sempre tive medo: arrumar um emprego “normal” com horários certinhos e etc. Já sinto toda uma infelicidade e tristeza me invadindo eqto todo mundo ao meu redor comemora. aff

    Torço por você e continuo lendo seu blog, acho alguns pensamentos seus parecidos com os meus ^^ Eu também prefiro ficar solteira do que com um babaca hahaha
    Bjoksss

    • 4 nath março 21, 2012 às 2:39 pm

      adorei saber que compartilhamos da mesma ideia de vida e – por que não? – ideais. e que, seguindo estes valores, estamos sim mais felizes :)
      bom pra gente né?

      um beijo!

  3. 5 Alice Farias fevereiro 5, 2012 às 11:08 am

    Tai um post a se pensar!
    Me vejo exatamente assim, fiz escolhas para pelo menos esse semestre de 2012 que os outros não entenderam, mas que para mim, tem valor!

    Olha, sinceramente, obrigada por me abrir os olhos, já estava na onda de fazer o que me faz feliz, mas agora vou aprofundar mais! ;*

    Abraço!

    • 6 nath março 21, 2012 às 2:40 pm

      bom saber que, mesmo de longe, ajudei um pouquinho!
      e acredito sim nessa máxima de que, fazendo bem a nós mesmas e seguindo os caminhos em que acreditamos, por tabela acabamos fazendo mais bem para o mundo ao redor também ;)

      beijão!

  4. 7 Linda fevereiro 6, 2012 às 7:34 am

    Concordo tanto!!! :-)

    Beijos!

  5. 8 Stael fevereiro 6, 2012 às 9:08 am

    Concordo em tudo! beijos Nath!

  6. 9 nana fevereiro 6, 2012 às 11:18 am

    Nath, querida! concordo tanto com o que escreveu!
    eu tbm me canso de ter que justificar tanto as minhas escolhas, parece que preciso ser aprovada o tempo todo, até quando não me interessa!
    vc sabe, qdo comecei a namorar o Fe foi assim. ainda bem que desta vez (pelo menos), eu consegui ser mais forte, rs..

    mas por outro lado, tenho esse lado que faz tudo como “manda o figurino”, e isso me prende a agência, por exemplo.. e eu queria ter um pouco mais de coragem pra escolher ser um pouco mais fora da curva. Faz bem, eu sei.
    E isso o Fernando ainda vai conseguir me ajudar a mudar, fato!

    bjobjo amo seu blog.

    • 10 nath março 21, 2012 às 2:42 pm

      não se cobra demais que isso leva tempo, flor.
      haja autoconhecimento e vontade de mudança viu?
      também muita força e paciência.

      só acho melhor repensar isso que disse, “preciso ser aprovada o tempo todo, até quando não me interessa!”
      se não te interessa, pra que gastar energia com isso?
      só gaste e se desgaste com o que de fato vale a pena, é mais saudável :)

      besitos


  1. 1 coração valente « drops de anis Trackback em maio 24, 2012 às 2:18 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 163,912 hits

%d blogueiros gostam disto: