spend more time flowing

“Os homens normais não sabem que tudo é possível.”
(D. Rousset)

Tive que ler um texto de psicologia* para uma aula sobre o homem do século XXI. E ele tinha tantas frases de efeito e reflexões lindas que achei ser uma maneira muito simpática de começarmos uma segunda-feira ensolarada de outubro. Por favor, descartem o linguajar técnico e específico e se concentrem apenas nas mensagens – elas ainda vão render outros textos por aqui. Boa semana para vocês, :)

“(…) O sujeito psíquico é, assim, um ser que reconhece as suas contradições e os seus conflitos, sabendo que não é totalmente senhor de sua própria casa pelo fato de existir o inconsciente, submetido à vacilação e ao medo do despedaçamento, mas capaz de fazer de suas falhas o trampolim para chegar à posição de sujeito humano e de sujeito social, estando ambos intimamente ligados, providos de uma membrana protetora (de um “eu-pele”, conforme D. Anzieu) e capazes de abrir-se ao mundo. (…) o homem está no caminho de sua autonomia, de ditar a si mesmo as próprias regras e de ter uma visão otimista do futuro.”

Afinal, se a gente é autônomo o bastante para poder escolher qual caminho seguir, por que não fazê-lo de forma positiva, néam?! Porque o fim pode ser o mesmo, mas o meio faz toda diferença.

***

Um bônus extra para vocês é esse clipe lindo do Tiago Iorc, que foi a maneira mais bonita e doce de terminar meu domingo: cheio de verdades que eu tava precisando ouvir, pero sin perder la ternura jamás.

 

*trechos em aspas extraídos de “O Homem do Século XXI”, de Eugène Enriquez

Anúncios

7 Responses to “spend more time flowing”


  1. 3 Laylah outubro 26, 2011 às 11:35 am

    Gostei demais desse texto, Nath. Acho que faz todo sentido o que ele diz de sujeito psíquico e a ponte que ele cria entre ele e o sujeito social e o sujeito humano. Reti-me mais à essa parte. Poxa… sei lá, mas… gostei. Talvez eu tenha estudado Filosofia e Sociologia por um bom tempo e entendo o que ele diz… talvez é porque simplesmente faz sentido, seja verdade.
    O fim pode ser o mesmo, mas com que cara, ânimo e sentimento a gente chega lá, faz toda a diferença, não faz? E tudo isso depende do meio. Ou será que eu estou viajando na maionese? =/ fica a dúvida (hahahaha).
    Obrigada, Nath! Embora eu esteja lendo seu texto só hoje, ele até fala um pouquinho da minha segunda-feira, quando eu olhei para uma pessoa e disse: “Fazer as coisas de má vontade dificulta um pouquinho”. E você melhora minha quarta-feira agora, que tal? Afinal agora é minha vez de lembrar que posso deixar o meio mais legal para chegar no fim esperado… e como eu mesma disse, fazer as coisas de má vontade dificulta, então ânimo e ‘bora’ pro próximo texto antes de começar a fazer o que precisa ser feito!


  1. 1 kiss the rain « drops de anis Trackback em outubro 26, 2011 às 9:53 pm
  2. 2 be the love generation « drops de anis Trackback em novembro 2, 2011 às 11:15 am
  3. 3 be the love generation « drops de anis Trackback em novembro 2, 2011 às 11:15 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 164,286 hits

%d blogueiros gostam disto: