freud explica

– Sabe mãe, ainda não sei se é melhor ou pior estar cercada de casais bem-sucedidos. Por um lado é bom porque me faz ver que o amor existe e pode sim dar certo; mas por outro é ruim porque posso estar acreditando em algo que talvez não aconteça mais para mim…

– Pois é Naná, pode acontecer como pode não acontecer. E você precisa aprender a lidar com isso.

***

Minha mãe não passa a mão na minha cabeça dizendo que tudo vai dar certo, não. Ela quer que eu esteja preparada para quando as coisas derem errado também.

Meu nome é Nathalia, minha mãe é psicóloga e eu faço terapia em casa full time há 26 anos. Bem-vindos ao meu mundo.

Anúncios

10 Responses to “freud explica”


  1. 1 Flá maio 24, 2011 às 2:19 pm

    HAUIHAiuhAIUHUAIA, ai, esse tipo de pensamento é duro, mas acho que é bom. Não sou psicóloga (infelizemente,eu diria…=/ ) mas sempre tento pensar assim também porque né, coisas dão errado às vezes e saber lidar com isso sempre ajuda…

    O duro é que meu lado sagitariano-sunshine-e-otimista sempre acaba dando as caras e eu me divido…sabe aquele lado que acha q CLARO que vai acontecer? Pode não ser agora, pode não ser rápido,pode não ser controlável, mas vai ser,no fim,no fundo, tudo vai dar certo em algum momento- pensamento que me causa tanto sentimentos bons como esperança quanto uma super inércia diante de tudo, já que no fim tudo se ajeita…aiai!

    Pois é, meu nome é Flávia e eu provavelmente preciso de terapia, pelo menos part time! HAUIHaiuhaihaIHAI

    Beijos!

    • 2 nath maio 24, 2011 às 2:26 pm

      hahahaaha

      meu meu lado sagitariano-sunshine-e-otimista também sempre é mais forte!

      mas é bom tentar manter os pés no chão também né?

      beijocas ;*

  2. 3 Larissa L. maio 24, 2011 às 3:46 pm

    Meu nome é Larissa, faço terapia, minha mãe nunca fez e sou estudante de psico!
    Mesmo assim, minha mãe tb me dá essas lições e acho até melhor!
    Beijosss

  3. 5 Laylah maio 25, 2011 às 2:38 pm

    Oi, Nath!
    Meu nome é Laylah, não faço terapia, minha melhor amiga não passa a mão na minha cabeça e, até onde eu sei, minha mãe nunca passou em nenhum dos últimos 20 anos. Professoras também têm essa coisa… aprenderam a lidar com as crianças e adolescentes muito bem nessa profissão. Certo, algumas não. Mas voltando… é bom, é ruim, sua mãe tá certa, como se era de esperar. No final das contas, tudo na vida a gente tem que encarar de frente e arriscar. A vida é feita disso, riscos e tentativas, já disse uma amiga minha. Então é respirar fundo, chorar, lavar o rosto, ficar de pé e sair andando de novo. Quem sabe da próxima vez a gente ri ao invés de chorar?
    Às vezes eu penso que você é bem nova e já fez tanta coisa, Nath! Falando nisso, a gente pode conversar sobre a França? Eu queria perguntar umas coisas. Você foi pra lá, não é? Obrigada!

    (você consegue me mandar email, não? Você já fez algo assim antes…)

  4. 7 Fabi maio 28, 2011 às 11:39 am

    É como eu li por aqui certa vez: tem que lavar o rosto e encarar tudo de frente!
    :*

  5. 9 manoela julho 18, 2011 às 6:08 pm

    eu concordo com ela!
    e com esse texto também:

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI247981-15230,00-MEU+FILHO+VOCE+NAO+MERECE+NADA.html

    beijos


  1. 1 take a walk on the wild side « drops de anis Trackback em novembro 10, 2011 às 3:36 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 163,972 hits

%d blogueiros gostam disto: