dos bons rascunhos

‘Sometimes there are sheets in a sketchbook which, although they are more or less scribbles, nevertheless have something to say.’
(Van Gogh)

A primeira vez que ganhei um desses estava em Londres ainda. Eu havia passado uma semana fora, cuidando de Gabriela, e quando voltei havia duas correspondências para mim em cima da cama: um postal de Nuria, de NY, e um pacotinho embrulhado, de Fortaleza. Queria abrir correndo, feito criança rasgando embrulho em véspera de natal, mas não podia acordar minha companheira de quarto, era madrugada já. Contive minha ansiedade e abri cuidadosa: era um caderninho, tipo moleskine, com capa estilo antiguinha. Um mimo da Cláudia, que eu conhecia como Melissa e hoje também é, como ela mesma diz, “monstro dos presentes”. Eu adoro rascunhar sobre viagens nele – as que fiz e as muitas que ainda quero fazer. Foi ele que me acompanhou firme e forte pela Europa, e que tem uma frase que rascunhei logo no começo, de Robert Louis Stevenson: ‘I travel not to go anywhere, but to go. I travel for travel’s sake. The great affair is to move.’

Nesse um ano e meio que se passou, ela me deu outro, com uma reprodução de um dragão, pintado nas paredes do monastério Lamayuru, no norte da Índia. Segundo a explicação, serve para nos encorajar a alcançar as realizações pessoais. Ela disse que, quando viu, pensou que eu iria amar ou odiar. E eu amei. Esse vai na bolsa, comigo pra cima e pra baixo. Tem de um tudo lá: anotações de cotidiano, listas de compras, telefones e pendências, quereres, inspirações, lembretes… Tem até rascunhos de looks que vou pensando com meus botões e idéias para melhorar o dia-a-dia, de tão pêra-uva-maçã-salada-mista que ele é. Mas, com certeza, a minha parte favorita dele é um diarinho que chamo de ‘motivos para sorrir – não um sorriso qualquer, mas daqueles de encher a alma por dentro, feito espuma de algodão-doce’. Juro que o nome é esse mesmo, bem comprido, e desde julho ele guarda meus sorrisos mais sinceros. Tem dias em que há muitas anotações, tipo muitos motivos para sorrir. E tem outros bem vazios também. Mas, no geral, ele é bem recheado. E, quando pinta uma nuvenzinha aqui em cima, é a ele que recorro.

Há duas semanas chegou mais um pacotinho, presente de aniversário atrasado. Nele, mais um moleskine especial: de Van Gogh, com a capa roxa (linda-linda), e acompanhado de uma ‘irmã’: uma agenda de telefones com uma ilustração dele na capa, direto do museu de Amsterdam. Não pude conter o sorriso e as lagriminhas de emoção que foram parar no canto dos olhos. Incrível como alguém que nem conheço pessoalmente é capaz de transformar não só meu dia, como vários momentos, me incentivando a escrever cada vez mais e a ter comigo não apenas um, como muito motivos-para-sorrir-feito-algodão-doce. E, no dia 3 de fevereiro, o diarinho rascunhado no dragão ganhou mais uma anotação: ‘moleskine e agendinha de van gogh pelo correio, presente de melissa, diretamente do ceará :))) ‘.

Anúncios

6 Responses to “dos bons rascunhos”


  1. 1 _Melissa_ fevereiro 19, 2009 às 5:33 am

    Eu ameeeeeeeeei!
    E olha q eu estou embriagada (sério, acabei de chegar de uma balada altamente punk). Daí, pra tirar um pouquinho da música techno da minha cabeça e do álcool do meu sangue *hihi*, antes de ir dormir, eu decidi sentar aqui no pc. E olha só o q eu leio? O post mais legal de todos (todos!) os tempos! Porque é o primeiro post escrito pra mim! Sério! :) Ai… Agora quem está emocionada sou eu, sua chata! Lindo! Lindo! Lindo! E agora vou dormir com um sorriso-delicioso-feito-algodão-doce estampado na cara *hehe*, e com o coração absurdamente amolecido. Porque amo mimar as pessoas q eu adoro, mas, nesse momento nem q quisesse eu conseguiria negar: ameeeeeeeeei (com este monte de “es” para deixar transbordante o entusiasmo) este post-mimo (completamente inesperado) de você para mim. Bom demais! Prometo q vou reler (e ficar toda bobona de novo) ao menos umas 10 vezes. E tenho dito!
    Tem preço não, queridoca! Não mesmo!
    Cheirão!

  2. 2 Gabriela fevereiro 19, 2009 às 1:58 pm

    É bom estar de volta (2) (:

    Também adoro cardeninhos de anotações. Tenho alguns, a maioria que compro em feirinhas e papelarias bonitinhas só por achar que eles podem carregar muitas coisas. Termino esquecendo-os, mas esse post me deixou morrendo de vontade de chegar em casa e escrever um monte de coisas neles!

    Beijo.

  3. 3 Ju fevereiro 19, 2009 às 3:06 pm

    esse tipo de coisa alimenta a alma
    =)

  4. 4 La fevereiro 25, 2009 às 6:54 pm

    Com toda certeza, ter um bloco de anotações por perto é essencial pra rabiscar idéias, que podem se transformar em algo mais. Ainda mais quando eles são dados por alguém de quem gostamos! Primeira vez aqui no seu blog, mas com certeza não será a última.

  5. 5 camila março 6, 2009 às 1:41 pm

    Dear,

    Que lindo… Lembrei da Nuria estes dias, estou super emotiva e saudosa… :) Tão legal aquele nosso almoço! Me manda notícias dela, quero saber.

    Beijocas com saudade, sempre.
    Cami.


  1. 1 grandes miudezas « drops de anis Trackback em março 18, 2009 às 3:07 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Blog Stats

  • 163,970 hits

%d blogueiros gostam disto: